Menu

Contos Gays – O cara da transportadora

Para somar com Contos Gays, contarei minha história, sou Mateus, esse é meu primeiro conto, portanto perdoem as falhas, bem, tenho 20 anos de idade e moro no interior de uma cidadezinha de SC, por morar em uma cidade pequena fazer compras pela internet e sempre um problema, porem uma de minhas compras foi incrivelmente boa, não só pelo produto mais pela transportadora, estava pra chegar em uma sexta feira à tarde, porem devido ao difícil acesso o motorista se perdeu no caminho algumas vezes, e o produto acabou chegando quase dez horas da noite, o cara que se apresentou como Renato, era alto, corpo malhado, loiro, chegou pedindo desculpas pelo atraso, resolvi brincar com a situação dizendo:
_isso são horas de chegar à casa dos outros?
_pelo menos não estou roubando, (rebateu Renato de forma bem humorada).
_pra fazer sexo ninguém vem uma hora dessas,
_olha, se você fosse mulher, a gente conversava de perto.
Dei uma risadinha, e confesso que o jeito de Renato havia me excitado, resolvi continuar a brincadeira.
_Renato, ninguém melhor do que alguém que tem oque você tem, pra saber exatamente oque fazer pra te deixar louco.
_você esta me cantando mesmo?
Notei que Renato estava meia bomba, fiquei sem responder ele que mudou o assunto,
_onde deixo as caixas?
_pode por aqui no quarto
E Renato levou as caixas uma a uma, quando na ultima caixa ele comentou sobre o tamanho do quarto, me disponibilizei a mostra-lo inteiro e fui acender a luz principal, foi quando senti Renato atrás de mim, que sussurrou:
_eu prefiro que você me mostre outra coisa
Encostei meu corpo no corpo de Renato e senti que estava com a rola dura, e ele me pegou da mesma forma que um hetero louco por sexo pega uma mulher, enquanto me beijava Renato deslizava a mão por minha bunda, dava pra sentir o pau dele pulsando por baixo da calça, enfiei minha mão e peguei no membro dele, devia ter uns 19 cm grosso, tirei pra fora da calça me abaixei e comecei a mamar Renato, o pau dele pulsava na minha boca, me sufocava, Renato pediu que eu abrisse bem a boca, segurou minha cabeça e empurrou a rola na minha boca fazendo eu me afogar, socava cada vez mais, fodia minha boca com muita vontade, tirou o pau e disse que era a melhor boca que mamou ele, mais queria mais, levantei e Renato me colocou contra a parede disse para eu empinar bem a bunda, ele estava com o pau todo lambuzado depois de ter fodido minha boca, começou e meter no meu rabo, colocou a cabeça e disse que o resto seria por minha conta, apesar de doer um pouco comecei a rebolar na cabeça da rola dele, ficou quase louco e socou o pau no meu rabo, entre uma bombada e outra ele dizia e era um rabinho delicioso, Renato começou a bater uma punheta pra mim enquanto socava a rola no meu rabo, não resisti e acabei gozando, oque levou Renato ao delírio e começou a bombar ainda mais forte, foi quando senti algo quente dentro de mim, foram uns 5 jatos de porra quente, Renato forçou ainda mais o pau na minha bunda, e depois de uns 5 segundos começou a tirar a rola do meu rabo, fiquei arrombado, senti que estava escorrendo porra do meu rabo, Renato me beijou novamente e depois começou a se vestir, com uma cara de satisfeito disse que tinha sido maravilhoso, que iria querer voltar a fazer entregas em minha casa, trocamos contato depois nos despedimos, quem sabe um dia voltamos a nos ver e eu possa sentir aquele macho me fodendo de novo. Aos poucos o caminhão de Renato desapareceu na estrada, fui pro banho exausto, e assim encerrou minha noite. contos gays.

Deixe seu comentário

© 2017 - Sexo gay – Xvideos gay brasil – Videos gay – Pornô gay